Quantcast
Channel: CARAS
Viewing all articles
Browse latest Browse all 3622

"As piadas que fazemos no 'Agora é Tarde' dificilmente seriam entendidas no 'Zorra'", diz Marcelo Mansfield

0
0

Marcelo Mansfield pode ser considerado o padrinho dos mais notáveis comediantes de stand up do Brasil, que incluem Danilo Gentili, Rafinha Bastos, Oscar Filho e Marcela Leal.

Como padrinho dos novos humoristas do stand up brasileiro, Marcelo afirma que o auge dessa nova "safra" já passou e somente os mais talentosos passaram pela peneira. "Já chegou no topo e depois deu uma peneirada boa. Ficou quem é bom, aquelas pessoas que se renovaram. O primeiro texto é fácil, o segundo é que precisa ser superado e é que diz quem vai continuar. Mas tem pessoas muito boas vindo nessa segunda geração, como o Paulo Vieira, que veio do Tocantins e é ovacionado quando termina a apresentação. O Daniel Duncan é um gênio, amigo do Gentili, e acho que fica. E a Criss Paiva tem um texto impecável", aposta o experiente comediante.

+ Danilo Gentili dança sem camisa e perde o cabelo no 'Programa da Eliana', no SBT

O humor do programa Zorra Total também foi defendido por Marcelo, que interpretou o personagem Seu Banana (nos palcos, é conhecido como Seu Merda) na atração em 2007. "O Zorra foi um período maravilhoso na minha carreira. A gente brinca, mas não sabe o que é gravar uma piada simples. Chegava para gravar com Seu Banana numa oficina, e já me deparava com mecânicos todos sujos de graxa. Apesar de ser mal falado, o programa é muito bem produzido. Vale lembrar que o Fabio Porchat, hoje fazendo um sucesso tremendo no Porta dos Fundos, já foi roteirista do Zorra".

Mas Mansfield ressalta que hoje, no Agora é Tarde, consegue fazer um humor mais sofisticado na TV, e descarta que haja um limite para as piadas. "As piadas que fazemos no Agora é Tarde dificilmente seriam entendidas no Zorra. Nessa semana mostramos uma cena de um churrasco num quintal falando que era o Brazilian Day, em Nova York. Na volta, falamos que era na Time Square de 8, o quadradinho de 8 americano. Já esse negócio de limite é tudo bobagem. A questão é onde podemos chegar com a piada para agradar o público", afirma.

O programa da Band, por sua vez, já realizou um quadro com o título "Concurso Zorra Total", com o objetivo de descobrir personagens caricaturados e bordões para o programa global.Claro, tudo não passou de piada.

Em cartaz com o espetáculo de humor Nocaute há cinco anos, Mansfield planeja os próximos passos no teatro, indo além do formato que o consagrou nos palcos.

"No próximo ano, vou estrear o espetáculo 'Chega de Shakespeare'. É uma alta comédia, mais complexa que um simples espetáculo de stand up comedy. Será um monólogo, com efeitos especiais e diversas trocas de roupa", contou Marcelo.

+ Rafinha Bastos aumenta a audiência do programa 'A Liga' em 40% na Band

O humorista também diz estar trabalhando da adaptação do texto de Sorry, Wrong Number (Desculpa, Engano, em tradução livre). O roteiro será baseado no programa de rádio de Lucille Fletcher, onde uma mulher intercepta uma ligação cruzada e ouve dois homens planejando o assassinato de uma outra mulher. "É um suspense americano, para ser apresentado num teatro menor. Sempre tenho que dar uma renovada. Sinto que estou envelhecendo de idade e cara. Mas o Raul Cortez disse uma vez que os melhores papeis surgem depois dos 60. Estou chegando perto", brinca Mansfield, que está prestes a completar 57 anos

Questionado sobre a validade dos textos de stand up, Marcelo contou que mantém a base de seus textos, mas que agrega piadas ao longo dos anos, e destacou a importância de outros comediantes na leitura e observação das piadas. "Sou formal e respeito a base do texto, mas sempre procuro pelo frescor no palco. Também consulto o Danilo ou o Rafinha quando fico na dúvida em relação ao texto. Geralmente eles me ajudam muito, fazem observações que deixam mais fluído", completou.


Viewing all articles
Browse latest Browse all 3622

Latest Images

Trending Articles





Latest Images