Quantcast
Channel: CARAS
Viewing all articles
Browse latest Browse all 3622

Domingos Montagner leu biografia de Marighella para viver personagem comunista em 'Joia Rara'

0
0

Após dar vida a Zyah na novela Salve Jorge, o ator Domingos Montagner viverá Mundo em Joia Rara, um nordestino simples, mas com um grande ideal: o sonho de ter um país com melhores condições de trabalho e menos desigualdade social.

+ Bianca Bin diz que não gosta de comemorar o aniversário e conta como se imagina aos 30 anos de idade

Para ajudar na interpretação do personagem, o ator leu algumas biografias, como a de Carlos Marighella [um dos principais resistentes ao regime militar], e materiais sobre Getúlio Vargas, desde sua ascensão até a revolução de 1964. “É importante ficar por dentro do contexto principalmente por causa da palavra, do texto. Meu personagem é muito pragmático, então esse discurso tem que se tornar bastante orgânico. O ator, quando fala, tem que sentir que as palavras são suas, sobretudo em momentos já revisitados e conhecidos, para não soar anacrônico. Preocupei-me em construir o papel pelo lado da paixão pela causa, pelo conceito do comunismo”, disse Domingos para o site da novela.

Apesar de não haver muitas mudanças no visual do ator, a construção do personagem também foi pensada a partir da aparência. Com os cabelos mais curtos, devido à tendência da época, e com a barba por fazer, Domingos explica não ter tido uma preocupação com a vaidade e a estética, pois o objetivo era criar uma diferenciação entre o núcleo mais pobre - do cortiço e dos operários - e o da família Hauser. “Tínhamos que estabelecer esse antagonismo visualmente também para reforçar o discurso”, acrescenta.

+ Nathalia Dill revela que está sendo "prazeroso" interpretar uma vilã em 'Joia Rara'

Apaixonado por Iolanda (Carolina Dieckmann), seu personagem teme que esse amor atrapalhe a luta operária, e por isso resiste em se casar com a jovem. O ator acredita que esse era um traço comum das pessoas que realmente viveram essa época e tiveram um conflito entre a vida pessoal e a causa social. “Em muitos casos os militantes deixavam suas famílias também pelo risco de perseguição a elas, que eram alvos fáceis. Eles se mantinham um pouco no anonimato, na clandestinidade. E o casamento, para eles, tem esse aspecto comprometedor e preocupante, que poderia, como diz o próprio Mundo, enfraquecer a determinação da militância”, comenta o ator.

Diferente do personagem, porém, na vida real, o medo em se casar não foi um empecilho para Domingos. “Nunca tive esse tipo de problema. Quando decidi, fui em frente. Era outra realidade, muito diferente”.

+ Após Avenida Brasil, José de Abreu volta a viver vilão em Joia Rara


Viewing all articles
Browse latest Browse all 3622